segunda-feira, 17 de novembro de 2014

A um amigo...

Amigo...
Tu que sabes. Sabes o que? Tudo.
Ou pelo menos quase. Tu que és dono de uma frontalidade inquestionável e uma mentalidade sem igual, sabes o que se vai passando, comigo, contigo...
Sofres, apesar de o saberes esconder melhor que eu, desde putas desarmadas que atiram palavras ao vento até ao não te conformares com a luta inevitável contra o esquecimento.
Mas também animas, numa felicidade constante e contagiante, numa energia que dava para a electrificar a cadeira eléctrica em que metes as coisas tristes da tua vida, sempre disposto a puxar a alavanca.
Tu és o riso num funeral, brilhas de maneira diferente e tens o potencial para brilhar ainda mais.
Aproveita o que és e eu asseguro-te que serás enorme.
Puto, a partir daqui é sempre a subir...



0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.