sábado, 14 de março de 2015

Mata-me

Mata-me como quiseres.

Mata-me a curiosidade;
Mata-me a fome;
Mata-me a vontade;
Mata-me de experiencias;
Mata-me a torto
Mata-me a direito;
Mata-me de abraços;
Mata-me de gritos;
Mata-me de beijos;
Mata-me de olhares;
Mata-me de paixão;
Mata-me de vergonha;
Mata-me de humilhação;
Mata-me de desinibição;
Mata-me de gemidos;
Mata-me de orgasmo;
Mata-me de surpresa;
Mata-me de admiração;
Mata-me de prazer...


Mas acima de tudo.

Mata-me bem


que eu sei que me consegues matar de uma vez.
Mata-me para que eu não volte;
Mata-me no fundo do poço;

A execução tua é morrer para a vida.


A vida são 3 dias e eu vendo 2 para passar um contigo.

E que nesse dia me mates, suavemente como só tu fazes.

E mata-me de amor, se puderes.




















0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.