segunda-feira, 1 de junho de 2015

Rotina diaria

Hoje acordei a pensar em ti. Olhei para o telemóvel e apercebi me que tinha uma chamada perdida tua. Senti-me estupido por ter perdido a oportunidade de ouvir a tua voz e ouvir te dizer que me amas mais uma vez.
Porque há certas coisas de que me canso na vida (e há certos dias em que me canso da vida) mas ouvir te dizer "amo-te", nao é uma delas.
Faço a minha vida normal ("normal"), mas sempre com a tua imagem na minha cabeça.
Pois desculpa, mas já deixei de contar as vezes em que te imaginei na cama só hoje. As vezes dou por mim a olhar para ti e a pensar "por favor, vem até aqui e beija-me". Sim porque o anseio de te ter é a maior razão de viver, e haverá lá outra.
Nos teus lábios (ou na falta deles) residem todos os meus medos, e nas tuas pernas o amanhã, a tua voz é o suficiente para me fazer voltar, e "tu" é o suficiente para me levar onde quiseres.
Há pessoas que me marcam, pessoas que deixam o impacto e desaparecem, há pessoas... há pessoas e depois existes tu.
Esse "tu" que me conquista todos os dias. Apaixona-te por mim todos os dias, cansa te de mim todos os dias, volta a mim todos os dias, sê minha todos os dias.
Há a ansiedade de viver e a ansiedade de te ter, que no fundo é o mesmo.

0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.