domingo, 7 de junho de 2015

Voltaste meu querido

Abri a porta, e para todo o meu espanto eras tu.
Nem tinha acabado de dizer uma palavra e já a tua lingua percorria a minha, e era tão... tão...
Agarrei te pelos cabelos e deixei-me levar. Fizemos amor, fodemos, fizemos tudo o que sabiamos fazer, sempre com aquela emoção sem nome, mas que todos sentimos pelo menos uma vez na vida.
Nunca te tinha desejado tanto. Nunca te tinha tido tanto. Nunca me tinha sabido tão bem. Cheiravas a uma mistura de álcool, tabaco e suor que me excitava tanto.
A minha cabeça no teu peito sentia o bater do teu coração, estavas ofegante, e, provavelmente, estavamos em sintonia.
O mundo deixara de existir. O meu mundo pelo menos.
"Planeava ir me embora sabias?"- disseste tu numa voz cansada que transbordava confiança.
Esbofeteei-te com toda a minha força. E beijo-te logo de seguida. E fizemos o que sabiamos fazer de novo. Pensei que se tinhas planeado ir embora mais valia aproveitar agora antes que mudasses de ideias. E aproveitei. E foste meu, só meu.
Voltamos à mesmo posição, tu deitado e eu com a cabeça no teu peito. Isto aqui é a vida.
Estamos juntos, estamos separados, estamos sempre um com o outro.
Tu deixaste dormir, esse teu leve ressonar ecoa no quarto. A cama já não é tão grande, aliás agora é pequena para os dois, mas não faz mal.
Aninho-me bem e saboreio cada milímetro do teu corpo com o olhar.
Estás aqui. E és meu. Por vezes gostava que o tempo parasse, em momentos como este era perfeito.
O meu mundo continua solitário, mas se tu estiveres nele não preciso de mais ninguém.
Beijo-te na face e fecho os olhos.
Voltaste a casa, e é só isso que interessa.























0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.