terça-feira, 8 de setembro de 2015

Ouves a música?

Sempre achei que os discos tinham a solução para todos os problemas da vida, principalmente os relacionados com relacionamentos.
Dei por mim a procurar respostas muitas vezes neles.
Começo nos Pink Floyd, passo pelos Supertramp, o James Bay e até os Iron Maiden. O Bob Marley diz que vai ficar tudo bem e pergunta-se se é amor que acontece na sua cama de solteiro, os Rolling Stones não se satisfazem, o David Bowie continua a procura do Major Tom e o Bryan Adams lembra-se de uma posição sexual que não é a solução que procuro mas junta-lhe uma pitada de "Grease" e poderá muito bem ser "The One That I Want".
Percebo que não achei solução nenhuma, que todos os sentimentos, emoções e experiências que aqueles artistas passaram a vida a documentar, a aperfeiçoar e a harmonizar, serviram talvez para que o ouvinte se relacione e não se sinta sozinho mas ao mesmo tempo se sinta único. Mas não para resolver problemas, de raiz amorosa ou outra qualquer, a música poderá ser um meio, mas não um fim.
Estarei a procurar nos sitios errados? Talvez, a solução dos meus problemas até pode estar num objeto circular de policloreto de polivinila.
Se está, ou onde está, não sei. Os positivistas e gurus dizem que está em nós próprios, os altruístas dizem que está nos outros, os românticos dizem que está "nela/nele".
Eu digo que não sei, mas hei de descobrir. E quando o fizer vou assegurar me que tu, que estás a ler isto és dos primeiros a saber, combinado?

"E aqueles que foram vistos a dançar, foram julgados como loucos, por aqueles que não conseguiam ouvir a música" - Friedrich Nietzche



 

0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.